LOCALIZAÇÃO

Centro / Reabilitação

Com um programa para três fogos, opta-se por dividir o programa em três pisos, assumindo cada um deles um caracter particular numa sobreposição de três caixas. Estes três volumes sofrem um desalinhamento horizontal entre si, provocando dinamismo nas fachadas e criando aberturas e entradas de luz para os apartamentos.

PLANTAS

ALÇADOS

PISO 0.T1

O volume do piso térreo ocupa toda a área de implantação e tem uma presença mais assumida, com um material escuro e nobre, de forma a se assumir como embasamento do edifício. Contem três garagens, a entrada para os apartamentos superiores e um T1 com pátio privativo.

PISO 1.T2

As fachadas do volume do primeiro piso tem um tom mais claro. As aberturas e entradas de luz são feitas de forma regrada com rasgos verticais a toda a altura do volume, marcando um ritmo de desmaterialização. Contem um T2 com duas varandas, uma a norte e outra a sul.

PISO 2.T3

O tratamento da fachada do volume do segundo piso obedece a uma métrica, com uma faixa central a todo o perímetro das fachadas voltadas para a via pública, onde acontecem as aberturas para as divisões internas. Tem um apontamento peculiar a sudoeste, um rasgo que mimetiza uma dentada dada no edifício e que cria uma abertura para a melhor fuga e orientação visual do apartamento.

PISO 3.+1

Na sala de estar temos uma escada interna que leva o utilizador a uma extensão deste espaço no nível superior. A cobertura acessível é uma zona de estar exterior com uma vista sobre um braço do rio tejo e contem uma zona de ensombramento com churrasco. Duas floreiras rematam o edifício a norte e a sul.

F

Com a preocupação acrescida por estar a propor um edifício moderno numa zona central e histórica da cidade do montijo, tornou-se imprescindível o recurso à ferramenta da fotomontagem para conseguir visualizar com mais precisão o resultado final na arquitetura proposta.